Rua Dois de Dezembro, 10
Itaquera - CEP 08220.520 

São Paulo - SP

(11) 2079-9071 / (11) 2079-5729

(11) 2079-0526 / (11) 2071-8854

Reciclagem

Antes de ser implantado um sistema de reciclagem é necessário que se estude e se desenvolva um projeto detalhando todas as fases de procedimento, desde a coleta do material, sua separação e sua destinação.

Alguns aspectos são fundamentais na elaboração desse projeto:

 

Viabilidade Executiva

 

Um ponto importante a ser considerado na coleta seletiva é se determinar como será e onde será feita a coleta, devendo os locais escolhidos ter o material que comporte o respectivo trabalho. Outro ponto é quem deverá executar tal coleta.

Seria uma simples campanha suficiente para o êxito de uma coleta seletiva. A experiência em casos semelhantes tem revelado que não. Em outros países e especialmente na Alemanha existem leis que obrigam o munícipe a separar previamente os materiais recicláveis do lixo e, aquele que desobedecer é severamente punido através de pesadas multas. Infelizmente o povo só entende a linguagem do bolso e, dificilmente, sem medidas concretas, em qualquer país do mundo, uma coleta seletiva irá funcionar.

Sabe-se que na cidade de Nova Iorque o custo do plástico reciclado é superior ao dobro do plástico originalmente fabricado.

Na Alemanha, por falta de mercado dos produtos reciclados do lixo, não se sabe o que fazer com esses resíduos e a grande maioria é encaminhada, após a separação, para os incineradores.

 

Viabilidade Econômica

 

É evidente que em alguns casos se justifica um certo prejuízo na reciclagem dos plásticos, em benefício da maior vida útil dos aterros sanitários, visando a poluição causada por incineradores e a própria proteção das áreas aterradas, pois o plástico não se decompõe, complicando um natural ciclo ecológico.

O certo é que a coleta seletiva seja executada por empresas especializadas no aproveitamento dos diversos materiais recicláveis, mediante autorização expressa do poder público que deve agir como órgão fiscalizador. Esta é a conclusão colhida face aos problemas existentes em muitas cidades do primeiro mundo.

Viabilidade Ecológica

 

Incentivar a economia privada na execução dos serviços de coleta seletiva dos plásticos parece a melhor política a ser seguida pelos

administradores municipais, com conseqüências realmente positivas para a proteção do meio ambiente.

Viabilidade Social

Deve-se levar em conta o caso de uma seleção de reciclados não causar problemas sociais, tais como o fechamento de empresas e o desemprego.

 

Processos de reciclagem de Plásticos

 

É possível economizar até 50% de energia com o uso de plástico reciclado.

No Brasil, o maior mercado é o da reciclagem primária, que consiste na regeneração de um único tipo de resina separadamente. Este tipo de reciclagem absorve 5% do plástico consumido no país e é geralmente associada à produção industrial (Pré-consumo).

Um mercado crescente é o da chamada reciclagem secundária: o processamento de polímeros, misturado ou não, entre os mais de 40 existentes no mercado.A chamada "madeira plástica", feita com a mistura de vários polímeros reciclados, é um exemplo.

Já a reciclagem terciária, ainda não existente no Brasil, é a aplicação de processos químicos para recuperar as resinas que compõem o lixo plástico, fazendo-as voltar ao estágio químico inicial.